O Jardim Zoológico de Lisboa anunciou o nascimento de três crias de leão-africano, uma espécie que se encontra em vias de extinção naquele que é o seu habitat natural. Dois machos e uma fêmea, com sete meses de idade, que vai poder conhecer e ver mais de perto. 

Para assinalar este acontecimento, o Jardim Zoológico vai aproveitar a Semana do Ambiente, que decorre entre os dias 5 a 10 de junho, para dar a conhecer os novos membros e revelar algumas características e hábitos desta espécie. Trata-se de uma semana com várias atividades para todos os visitantes.

Com sete meses de idade, os verdadeiros ‘Reis da savana africana’, dois machos e uma fêmea, convidam os visitantes a visitar o Zoo e a desvendar curiosidades sobre a espécie ao mesmo tempo que participam nas atividades lúdico-pedagógicas”, lê-se no comunicado.

A chegada destas crias, aumenta para dez o número de elementos do clã. Vão ser amamentadas pela progenitora durante cerca de dois anos e vão aprender “com o grupo, por observação e entre brincadeiras, a caçar, camuflar-se e a compreender a hierarquia estabelecida”.

O leão-africano é o maior carnívoro do seu continente. No entanto, apesar da sua bravura, imponência e força, esta espécie foi classificada como “Vulnerável” pelo International Union for Conservation of Nature (IUCN), por se encontrar em vias de extinção naquele que é o seu habitat natural. De acordo com o comunicado, isto deve-se a três fatores:

  • caça ilegal para obtenção de troféus
  • degradação do próprio habitat
  • perseguição e caça levada por populações locais

Por estas razões, apelam ao relevo e importância da reprodução destes felinos em parques como o Jardim Zoológico de Lisboa.