A procuradora-geral da República, Joana Marques Vidal, cumpriu esta quinta-feira o seu último ato oficial no cargo ao dar posse ao procurador-geral-adjunto Albano Morais Pinto, que irá exercer funções na área criminal junto do Supremo Tribunal de Justiça.

Numa curta cerimónia, que decorreu na Procuradoria, Joana Marques Vidal disse que a posse do procurador-geral-adjunto (PGA) tem “especial significado”, tendo em conta também a “carência de quadros que neste momento existe no Supremo Tribunal de Justiça no Ministério Público”.

Representar o Ministério Público e diretamente o procurador-geral da República no Supremo tribunal de Justiça é sem dúvida um ponto alto na carreira de qualquer magistrado do MP”, afirmou Joana Marques Vidal, que se mostrou satisfeita por terminar o seu mandado a dar posse a um PGA.

Albano Morais Pinto, 63 anos e natural de Coimbra, irá até dezembro acumular funções no STJ e como auditor jurídico no Ministério da Administração Interna e no Ministério da Defesa.

O procurador agradeceu a confiança depositada por Joana Marques Vidal, garantindo que iria “dar o máximo” no cargo.

Joana Marques Vidal, a primeira mulher nomeada Procuradora-Geral da República termina na sexta-feira o seu mandato de seis anos à frente da Procuradoria-Geral da República, sendo substituída pela também magistrada do MP Lucília Gago.