A SOS Racismo vai apresentar queixa contra o fadista João Braga por “declarações racistas e homofóbicas” nas redes sociais, anunciou a organização não governamental em comunicado.

A queixa vai ser apresentada junto da Comissão para a Igualdade e Contra a Discriminação Racial, uma vez que, para a SOS Racismo, o fadista “utilizou as redes sociais” para proferir considerações sobre os vencedores dos Óscares, que “devem ser denunciadas e veementemente repudiadas”.

As publicações em causa já foram eliminadas da página de Facebook de João Braga, mas foram replicadas um pouco por todo o lado nas redes sociais.

Em causa estão algumas afirmações, particularmente a primeira, que espoletou a polémica: “A distribuição dos Trumps: Agora basta ser-se preto ou gay para ganhar Óscares”, escreveu o fadista.

Na sequência das comentários de que foi alvo, João Braga invocou a liberdade de expressão e respondeu também na sua página a quem lhe apontou o dedo.

“A todos os imbecis, curtos de cerebelo, e preconceituosos: ide chamar racista e homofóbico, entre outras aleivosias, à real p... que vos pariu!”, postou o fadista, de acordo com a organização.

A SOS Racismo defende, ainda, no comunicado divulgado às redações, que “a agressão não é uma opinião, o insulto não é uma opinião, o racismo não é uma opinião”, pelo que as figuras públicas "não devem alimentar estereótipos e legitimar racismos". 

 
Catarina Machado