O alegado cabecilha do assalto a Tancos, o suspeito de ter chefiado o furto aos paióis, poderá sair em liberdade durante a fase de instrução do processo.

João Paulino está preso preventivamente desde setembro de 2018, mas poderá sair em liberdade já este mês. Isto, porque o período legal de detenção sem acusação vai esgotar-se.

Ainda assim, o arguido pode ser preso ao abrigo do processo do furto de pistolas Glock da PSP, em que também está acusado. 

O ex-militar preferiu ficar em silêncio durante a fase de inquérito, mas deverá falar, esta quarta-feira, frente ao juiz Carlos Alexandre.