O Serviço Nacional de Saúde tem o maior número de profissionais de sempre. Em janeiro deste ano, o SNS contabilizou mais 10 mil profissionais do que no ano passado.

O número de enfermeiros e de assistentes operacionais aumentou significativamente durante os meses de pandemia, bem como o número absoluto de médicos.

O reforço de contingente também se fez sentir nos assistentes técnicos, e nos técnicos de diagnóstico e terapêutica.

De acordo com o presidente da Associação de Administradores Hospitalares, citado pelo Jornal Público, os hospitais mais afetados pela pandemia foram os que contrataram mais pessoal.

Na enfermagem, deixou mesmo de haver desemprego. Os Hospitais notam que a maioria dos que entram estão a contrato.

Redação / RL