José Manuel Moura adiantou que “90 por cento dos incêndios são de origem humana, seja doloso ou por descuido”, sublinhando que muitos fogos “são por descuido”.


“Nós temos uma prática do uso do fogo, dos nossos costumes que tem de ser muito repensada, tem de haver muitas ações de sensibilização junto das populações”, afirmou.


“Temos incêndios a começar à meia-noite, uma, duas, três e quatro da manhã. A todas as horas do dia há o início de ignições. É, de facto, francamente estranho”, realçou.






“Em condições normais, a propagação de um incêndio dava tempo ao dispositivo de reagir e resolver mais cedo esses incêndios. Agora se não estamos logo em cima com meios, sejam meios aéreos ou terrestres, a possibilidade de nós o perdermos é grande, sobretudo se há simultaneidade”, explicou.





Panorama "é mais positivo e favorável"




fogo que lavra desde segunda-feira no concelho de Gouveia





“O panorama a esta hora é francamente positivo e favorável, temos ainda este grande incêndio a merecer preocupação que vai dar muito trabalho, mas as perspetivas são fracamente melhores”, realçou.



Redação / EC