“Ainda mais preocupante é que cerca de metade dos NEET – cerca de 20 milhões de jovens – não frequentava a escola nem procurava trabalho” no ano em análise, refere o relatório.










Por último, a OCDE recomenda aos Estados que antecipem as competências necessários no mercado de trabalho para “limitar a incidência de desfasamento entre as competências dos jovens e os empregos”.