Pilar del Rio, viúva de José Saramago, anunciou em Lanzarote que a Fundação com o nome do escritor vai propor o Prémio Nobel da Paz para o juiz espanhol Baltazar Garzón.

O anúncio foi feito no dia em que Baltazar Garzón apresenta a biografia de José Saramago, escrita por Fernando Gomez Aguilera, na Fundação César Manrique, em Lanzarote, numa entrevista que Pilar del Rio deu à rádio Cadena Ser, citada pela EFE.

Pilar del Rio justificou a proposta pelo facto de o juiz espanhol «estar envolvido na defesa dos direitos humanos e por nunca ter baixado a cabeça perante nenhuma obstáculo, nem nenhum poder, por ter seguido adiante e por se ter posto, em qualquer continente e em qualquer país, ao lado das vítimas».