Os juízes portugueses vão deslocar-se a mais de 200 escolas do ensino básico e secundário do país para falar de justiça, direito e cidadania.

A iniciativa da Associação Sindical dos Juízes vai envolver 6.000 mil alunos que participarão em debates sobre o que é o direito, qual o papel do juiz e direitos e deveres de cada pessoa.

Durante estes encontros que, segundo a associação, pretende em conjunto com as escolas, com os professores e educadores formar para a cidadania, serão também abordadas questões como violência no namoro, a privacidade e redes sociais e o consumo e tráfico de drogas.

Além dos encontros nas escolas, o projeto prevê ainda visitas dos alunos aos tribunais para conhecer a realidade de como se faz a justiça.

Se no futuro queremos cidadãos ativos, responsáveis, autónomos, com pensamento crítico, solidários, devemos criar interesse, esclarecer dúvidas, dialogar, debater. Os tribunais e os juízes têm uma função crucial na defesa do direito e da justiça. Estudantes e comunidade devem sentir proximidade e confiança na justiça”, explicou a Associação Sindical dos Juízes na apresentação da iniciativa.

Em declarações à agência Lusa, o presidente da Associação Sindical dos Juízes explicou que a adesão à iniciativa superou as expectativas com a manifestação de interesse de um elevado número de escolas.

Segundo Manuel Soares, vai ser criada uma rede de juízes para durante o 3.º período escolar visitar as escolas de norte a sul do país que se inscreveram e debater com os alunos todas as questões relacionadas com a profissão e a atividade desenvolvida nos tribunais.

A nossa ideia é mostrar uma coisa simples. O juiz é uma pessoa vulgar e queremos mostrar a faceta humana de que somos pessoas de carne e osso", disse.