Os dois argelinos detidos há duas semanas após terem fugido do aeroporto de Lisboa já regressaram ao seu país de origem, revelou esta quinta-feira à agência Lusa fonte do Serviço de Estrangeiros e Fronteiras (SEF).

Contactada pela agência Lusa, fonte da Pequena Instância Criminal assegurou que continua marcado para sexta-feira, pelas 11:00, o julgamento em processo sumário dos dois cidadãos argelinos, devendo o julgamento realizar-se na ausência dos arguidos.

Os dois argelinos (Hichem Guellil e Mohamed Mechani) vão ser julgados em processo sumário pelos crimes de atentado à segurança de transporte e introdução em lugar vedado ao público.

Na sequência da detenção, os dois argelinos foram, ao abrigo da Lei de Entrada, Permanência, Saída e Afastamento de Estrangeiros do Território Nacional, submetidos a interrogatório judicial no Tribunal de Pequena Instância Criminal, tendo o Ministério Público informado, na altura, que um dos arguidos, “por ter concordado, seria encaminhado à fronteira, a fim de sair do país".

O outro arguido, segundo adiantou então o MP, ficou sujeito à medida de coação de colocação em centro de instalação temporária, por se verificar o pressuposto no artigo 204, alínea c): “perigo, em razão da natureza e das circunstâncias do crime ou da personalidade do arguido, de que este continue a atividade criminosa ou perturbe gravemente a ordem e tranquilidade públicas”.

Hoje, em vésperas da data do julgamento, fonte do SEF indicou à Lusa que este último arguido acabou por aceitar regressar ao país de origem, à semelhança do seu companheiro de fuga, pelo que o julgamento de sexta-feira se fará na ausência dos dois arguidos.

Os dois homens fugiram a 12 de janeiro quando se procedia ao embarque de um grupo de cinco argelinos (quatro homens e uma mulher) num voo com destino a Argel, tendo “conseguido transpor a rede de proteção do aeroporto de Lisboa”, explicou então a PSP. Os outros três foram detidos quando tentavam fugir.

Esta não foi a primeira vez que se verificou a fuga de cidadãos no aeroporto de Lisboa, ocorreram outros casos envolvendo igualmente cidadãos argelinos.

Em outubro de 2016, o SEF e a PSP impediram a fuga de três passageiros chegados ao aeroporto de Lisboa num voo proveniente de Marrocos, numa ação que levou à detenção de seis cidadãos do norte de África que viajavam num voo oriundo de Casablanca, em Marrocos, com destino a Argel, capital da Argélia, com escala em Lisboa.

Em setembro, um cidadão de nacionalidade argelina, que fazia a viagem entre a Argélia e Casablanca, saiu ilegalmente do aeroporto de Lisboa.

No final de julho, quatro homens foram detidos pela PSP no aeroporto de Lisboa por violação das regras de segurança, ao terem tentado fugir ao controlo de passaportes e "numa zona restrita", mais concretamente na pista de aterragem.

Redação / VF