O Tribunal de Aveiro começou esta terça-feira a julgar dois irmãos, de 31 e 34 anos, suspeitos de terem assaltado à mão armada uma gasolineira em Albergaria-a-Velha e que já têm antecedentes por este tipo de ilícitos.

Este é o sétimo processo por factos idênticos, no qual os irmãos são réus, havendo dois deles que ainda não tiveram decisão final.

Somando as cinco sentenças anteriores, os dois já foram condenados a mais de 35 anos de prisão, cada um.

No processo que está agora a ser julgado, os réus respondem por um crime de roubo, um de falsificação de documento qualificado e outro de detenção de arma proibida.

No início do julgamento, os dois irmãos confessaram terem sido os autores do assalto, ocorrido a 1 de fevereiro de 2017, cerca das 22:15.

Segundo a acusação do Ministério Público (MP), a dupla deslocou-se até à gasolineira situada na antiga Estrada Nacional n.º1 em Albergaria-a-Velha numa viatura com uma matrícula falsa.

Quando chegaram ao local, o irmão mais velho entrou no estabelecimento a ameaçou com uma caçadeira de canos serrados a funcionária, tendo fugido com cerca de 375 euros em dinheiro.

Nas alegações finais, a defesa invocou a figura de “caso julgado” relativamente a alguns crimes, sustentando que os dois já foram julgados por falsificação de documento e detenção de arma proibida.

Além deste caso, os dois irmãos estão a ser julgados na Feira por mais quatro assaltos à mão armada a gasolineiras, de onde foram levadas quantias em dinheiro das caixas registadoras, totalizando cerca de 1.700 euros.

Os arguidos estão atualmente presos a cumprir uma pena de mais 15 anos de prisão, a que foram condenados no Tribunal de Viseu, sendo que um deles ainda aguarda o resultado do recurso apresentado.