O tribunal de Matosinhos condenou a um ano de prisão, pena suspensa, um bancário de Santo Tirso acusado por retirar cerca de 56 mil euros de contas de clientes.

O homem já restituiu os valores de que se apoderou (exatamente 55.990,19 euros), acrescido de juros, tendo prescrito a imputação de abuso de confiança agravada.

Foi condenado apenas por um crime continuado de falsidade informática.

Pesou na decisão de suspender a pena o arrependimento manifestado pelo arguido e, entre outros fatores, a circunstância de estar inserido socialmente e a trabalhar.

Favoreceu-o ainda ter restituído integralmente o dinheiro em causa.

"O tribunal acredita que, daqui para a frente, o arguido terá uma conduta irrepreensível", sublinhou a juíza presidente na leitura do acórdão.

A defesa disse à agência Lusa que o acórdão corresponde àquilo por que pugnou em tribunal.

Segundo a acusação, o bancário prestava serviço numa agência do Millennium BCP e transferia dinheiro das contas de clientes para a sua própria e para a de um filho menor de idade.

Os factos ocorreram no segundo semestre de 2016 e, de acordo com o processo, o arguido apoderava-se de dinheiro alheio, nomeadamente através da associação do seu número de telemóvel às contas dos clientes lesados de forma a receber códigos imprescindíveis à realização operações através da Internet.

/ MJC