a juíza-presidente explicou que o tribunal decidiu suspender a pena, porque o arguido confessou os factos e reparou dentro do possível os danos, além de ter recorrido a acompanhamento médico

«Foi uma loucura que fiz. Não tem justificação. Tinha uma fixação enorme por esta senhora. Dei cabo da minha vida. Isto é passado», disse o arguido, durante a primeira sessão do julgamento.