A Juventude Popular (JP), estrutura que representa os jovens do CDS-PP, considerou esta sexta-feira que a proibição de menores assistirem ou participarem em espetáculos tauromáquicos “é um ataque à liberdade” e recusou a “imposição de uma agenda ideológica”.

Em comunicado, o presidente da JP, Francisco Mota, defende que “proibir as touradas em canal aberto e a menores de 16 é um ataque à liberdade” e aponta que “a política do gosto, da perseguição e da imposição de uma agenda ideológica para a cultura não se compreende nem é aceitável”.

Um governo ou um deputado de Portugal não pode impor o seu gosto, condicionar a liberdade cultural dos portugueses e gerir a coisa pública ao sabor dos seus interesses”, advoga, falando em “falta de respeito” por parte do Governo.

Na ótica da JP, “este é o Estado da imposição, do educador para o socialismo e da liberdade comunista” e os centristas recusam que Portugal seja “a Venezuela da Europa”.

António Costa está desesperado para aprovar o Orçamento do Estado e garantir o poder em si e no Partido Socialista. Este estímulo animalesco de sobrevivência demonstra falta de racionalidade, falta de respeito pela nossa tradição e cultura e ainda de memória, porque o primeiro-ministro sempre foi um defensor e impulsionador da nossa cultura tauromáquica, mas rapidamente se esquece desde que isso garanta o seu poder”, assinala Francisco Mota.

O líder da JP defende ainda que “o foco de todo o Governo” deveria estar em “encontrar soluções” para o setor da cultura e dos eventos, que está “a passar por uma crise nunca antes vivida”, ao invés de “montar legislação contra a liberdade cultural e de imposição à agenda ideológica dos radicais”.

Na terça-feira, o PAN revelou que o Governo acolheu a sua proposta de proibir a presença e participação de menores em espetáculos tauromáquicos e indicou que a legislação será alterada no primeiro trimestre do próximo ano.

Quanto à transmissão das touradas na televisão, em canal aberto, o partido indicou que esse é outro assunto no qual também está “a trabalhar” com o Governo.

Entretanto, o Bloco de Esquerda entregou na Assembleia da República um projeto de lei com o objetivo de que menores de 18 anos não possam participar em eventos tauromáquicos e para que as transmissões televisivas só possam acontecer a partir das 22:30 e com “bolinha vermelha no canto superior direito do ecrã”.

/ CE