Um residente de um lar de Setúbal morreu nas últimas 24 horas devido à covid-19, existindo 76 casos ativos relacionados com o surto na instituição, indicou esta quarta-feira a Administração Regional de Saúde de Lisboa e Vale do Tejo.

Ainda segundo a Administração Regional de Lisboa e Vale do Tejo (ARSLTV), entre os casos ativos, 54 são utentes do MHAS Centro Geriátrico e 22 são funcionários.

Nove residentes do lar de Setúbal estão internados.

Na segunda-feira tinha morrido outro utente do MHAS Centro Geriátrico.

De acordo com a atualização da situação nos lares enviada à Lusa pela ARSLTV, no Lar de São José, no Barreiro, onde quatro utentes morreram nas duas últimas semanas, continuam a registar-se 32 casos ativos de covid-19, 27 dos quais residentes e cinco funcionários, estando três utentes internados (menos um do que na segunda-feira).

O surto no Lar de São José foi detetado no início do mês e contabilizou no total 52 casos positivos (38 em residentes e 14 em trabalhadores).

No Lar de Nossa Senhora da Luz, em Torres Vedras, continuam também a existir 71 casos ativos (48 residentes e 23 funcionários), estando 20 utentes internados (menos um do que na segunda-feira).

Este surto, no distrito de Lisboa, foi detetado no dia 03 de agosto e já se registaram seis mortos, o último na segunda-feira.

Na Casa de Saúde e Repouso da Amoreira, em Odivelas, onde foi detetado um surto no início da semana passada, permanecem 77 casos ativos (38 residentes e 39 funcionários), com quatro utentes internados.

No lar da Associação de Solidariedade e Apoio Social do pessoal da TAP, onde no início da semana passada morreu um utente, continuam ativos 53 casos, dos quais 41 residentes e 12 funcionários, estando internados três residentes.

A pandemia de covid-19 já provocou pelo menos 820 mil mortos e infetou mais de 23,9 milhões de pessoas em 196 países e territórios, segundo um balanço feito pela agência francesa AFP.

Em Portugal, morreram 1.807 pessoas das 56.274 confirmadas como infetadas, de acordo com o boletim mais recente da Direção-Geral da Saúde.

A doença é transmitida por um novo coronavírus detetado no final de dezembro, em Wuhan, uma cidade do centro da China.

/ JGR