A fundadora do Movimento Direito a Morrer com Dignidade e pioneira da defesa da despenalização da eutanásia em Portugal, Laura Ferreira dos Santos, morreu na sexta-feira em casa, informou aquele movimento cívico.

A professora Laura Ferreira dos Santos, nascida em 1959, era licenciada em Filosofia pela Universidade Católica e doutorada em Filosofia da Educação pela Universidade do Minho, onde lecionava como professora associada.

Laura Ferreira dos Santos dedicou parte da sua vida à reflexão, investigação e intervenção em torno das problemáticas do fim de vida, tendo publicado em 2009 o livro “Ajudas-me a morrer? A morte assistida na cultura ocidental do século XXI” e, mais tarde, “Testamento Vital, o que é? Como elaborá-lo?”.

Esta última obra deu um “significativo impulso e um contributo determinante para, mais tarde, a Assembleia da República aprovar a lei do Testamento Vital”, recorda o Movimento Direito a Morrer com Dignidade em comunicado, que lembra a sua fundadora como a pioneira da defesa da despenalização da eutanásia.

Em finais de 2015, juntamente com o médico João Ribeiro Santos, decidiu constituir o movimento cívico Direito a Morrer com Dignidade, cuja primeira ação foi o lançamento do Manifesto pela despenalização da morte assistida, que viria a ser subscrito por 100 figuras públicas e a dar origem à Petição dirigida à Assembleia da República com o mesmo objetivo, por mais de oito mil subscritores, e cuja discussão está para breve.

Redação / AM