"Estamos a dar algum tempo para que o novo Governo resolva a nossa situação, porque muitos dos novos governantes, como o agora primeiro-ministro, António Costa, prometeram-nos que havia uma solução", explicou à Lusa Fernando Silva, um dos lesados.








"Deram-nos esperança, quando falávamos com eles. Caso não surja uma resposta, a luta ficará feroz", prometeu.