No próximo dia 29 de maio joga-se a final da Liga dos Campeões no Estádio do Dragão, na cidade do Porto. As autoridades de saúde vão permitir a presença de público no interior do recinto, e é esperada uma chegada massiva de ingleses, até porque as duas equipas finalistas, Chelsea e Manchester City, são inglesas.

Para o presidente da Câmara Municipal do Porto estão garantidas todas as medidas de segurança sanitária, até porque todos os adeptos que venham para Portugal vão ser testados à partida.

Rui Moreira rejeita que possa existir um escalar dos contágios de covid-19, porque "a forma como está a ser organizado o evento vai dar garantias de que o que sucedeu em Lisboa não vai suceder aqui", recordando a festa do título do Sporting, que ficou marcada pelo ajuntamento de milhares de pessoas no Estádio de Alvalade e no Marquês de Pombal.

Não vamos ter o que aconteceu em Lisboa, que foi absolutamente diferente. São eventos de natureza diferente", apontou.

Os adeptos virão todos testados e com bilhetes. Serão separados por fan zones, de onde irão diretamente para o Estádio do Dragão, e dali para o aeroporto", referiu ainda Rui Moreira, lembrando que estão por detrás da organização a PSP, a câmara, a UEFA e a Federação Portuguesa de Futebol.

Para o autarca, a grande preocupação é económica, e centra-se nas restrições de cafés e restaurantes, que têm ainda de fechar às 22:30, sendo que agora a Direção-Geral da Saúde lançou uma norma ainda mais restritiva para estes espaços.

É uma coisa absurda e destrói a possível recuperação da restauração", vincou.

Além disso, e lembrando que milhares de pessoas vão ficar em Portugal depois do jogo, Rui Moreira teme que as pessoas venham para a rua beber, até porque não podem consumir bebidas ou comidas, seja no hotel, seja em restaurantes.

Questionado se podia garantir aos portuenses que a situação que se verificou em Lisboa não se vai repetir no Porto, Rui Moreira remete a preparação do evento para a PSP, voltando a referir o envolvimento da UEFA e da Federação Portuguesa de Futebol.

António Guimarães