O executivo da Câmara Municipal de Lisboa decidirá esta quinta-feira o próximo passo a dar após o chumbo do Tribunal de Contas (TC) ao empréstimo para pagar dívidas, anunciou o presidente da autarquia, António Costa (PS).

Após uma reunião de emergência com todos os vereadores e com a presidente da Assembleia Municipal, Paula Teixeira da Cruz (PSD), António Costa afirmou que «todos os cenários legalmente possíveis» estão em cima da mesa, e só na reunião de quinta-feira será tomada uma decisão para «uma boa solução de saneamento financeiro».

Autarquia reunida de emergência

Conheça aqui as razões do TC

O autarca socialista recusou no entanto pronunciar-se sobre as hipóteses concretas que está a estudar para poder contrair um empréstimo que lhe permita pagar as dívidas a fornecedores, que ascendem a quase 500 milhões de euros. Entretanto, a Câmara pediu pareceres sobre a recusa de visto do TC a três juristas: Marcelo Rebelo de Sousa, Vital Moreira e Jorge Miranda.

Lisboa: decisão do TC é «errada»

Sá Fernandes insiste em empréstimo

À saída da reunião, Paula Teixeira da Cruz disse aos jornalistas que a Assembleia Municipal veio garantir a António Costa «solidariedade institucional», no âmbito da qual vai convocar também na quinta-feira todos os grupos políticos ali representados.

Paula Teixeira da Cruz escusou-se a comentar a decisão do acórdão do TC, afirmando que «a cidade está numa situação difícil» e que é preciso evitar «a tradição de politiquice e aproveitamento na qual os cidadãos cada vez menos se revêem».
Portugal Diário