A Carris vai repor a sua oferta normal a partir da próxima segunda-feira, quando começa a segunda a fase do desconfinamento a “conta-gotas” definido pelo Governo, anunciou, esta quintafeira, a empresa de transportes públicos de Lisboa.

Numa nota enviada à agência Lusa, a Carris refere que, aos fins de semana e feriados, será reposto o serviço das carreiras de bairro 26B, 29B, 31B, 32B, 34B, 37B, 41B, 43B, 44B, 58B, 70B, 73B, 76B e 79B, bem como o das carreiras 716, 720, 732, 797 e 24E.

A empresa revela ainda que o funcionamento dos elevadores da Bica, Glória e Lavra vai ser retomado, ressalvando que o Elevador de Sta. Justa manter-se-á suspenso todos os dias.

É também reposto o percurso habitual da carreira 730, via Avenida General Roçadas e Rua Mestre António Martins”, é acrescentado.

A Carris reforça que vai continuar a fazer “uma monitorização diária e os ajustes necessários para garantir um serviço com segurança para todos os clientes”.

O plano de desconfinamento do Governo prevê novas fases de reabertura em 05, 19 de abril e 03 de maio, mas as medidas podem ser revistas se Portugal ultrapassar os 120 novos casos de infeção com o novo coronavírus por 100 mil habitantes em 14 dias ou, ainda, se o índice de transmissibilidade (Rt) do vírus SARS-CoV-2 ultrapassar 1.

A deslocação entre concelhos para a generalidade da população continuará interdita até 05 de abril, para abranger o período da Páscoa, e o dever de recolhimento domiciliário irá vigorar também até lá.

A partir de 05 de abril, o plano de desconfinamento prevê a reabertura das escolas do 2.º e 3.º ciclos, de equipamentos sociais na área da deficiência, de museus, monumentos, palácios, galerias de arte e similares, de lojas até 200 metros quadrados com porta para a rua, de feiras e mercados não alimentares (dependendo de decisão municipal), de esplanadas e de ginásios sem aulas de grupo.

A pandemia de covid-19 provocou, pelo menos, 2.816.908 mortos no mundo, resultantes de mais de 128,8 milhões de casos de infeção, segundo um balanço feito pela agência francesa AFP.

Em Portugal, morreram 16.859 pessoas dos 822.314 casos de infeção confirmados, de acordo com o boletim mais recente da Direção-Geral da Saúde.

/ NM