Desde março de 2020 que Portugal e Espanha se habituaram ao abre e fecha de fronteiras aéreas e terrestres. Apesar de já se poder passar para o lado de lá, existem várias regras a cumprir, para que se mantenha sob controlo a pandemia de covid-19.

TVI apanhou um avião para Madrid, capital espanhola, e verificou todas as normas que se devem cumprir para poder fazer a viagem, que dura cerca de uma hora.

Viajar já é menos complicado, mas há que cumprir todo o protocolo sanitário, o que requer desde o início do mês a apresentação do certificado digital, que comprova uma vacinação completa, a recuperação ou um teste negativo ao vírus.

O jornalista António Assis Teixeira embarcou de Lisboa e cumpriu todas estas mesmas normas, verificando todo o processo pelo meio.

Então, como é feito o controlo nos aeroportos?

Ainda antes do embarque é conferido o preenchimento do protocolo sanitário, exigido pelas autoridades espanholas para a entrada no país.

Com este documento deve apresentar-se uma prova certificada de um teste negativo à covid-19, que pode ser um teste PCR ou antigénio, dependendo das horas.

À chegada, e caso apresente sintomas, o passageiro deve isolar-se de imediato, ficando sujeito a quarentena de 14 dias. Aí, deve ainda declarar se teve contacto com algum caso positivo nas últimas duas semanas.

"Olá, de onde vens?", pergunta uma funcionária do Aeroporto de Barajas assim que a TVI põe os pés no chão.

Apresentanda a devida documentação, podemos seguir viagem.

Neste aeroporto há vários funcionários a garantir que o protocolo sanitário é seguido à risca. Para os passageiros que o tenham, pode ser apresentado o certificado ou o comprovativo em formato QR Code.

Já depois dessa validação, é-nos dado um novo QR Code, que vai sendo mostrado ao longo do percurso até à saída do aeroporto.

Já em plena Madrid, cidade que quer receber 40 milhões de turistas este ano, nota-se o regresso do movimento, num país onde a máscara deixou de ser obrigatória este mês, ainda que muitos locais continuem a utilizar a proteção, até por causa da subida de contágios.

Notamos muito a falta de turismo", refere uma madrilena, que recorda que por estes dias se deviam realizar as festas de San Fermín, em Pamplona.

Mais para a noite, é até às 01:00 que as esplanadas podem estar abertas, mas o problema vem depois: "Por culpa do botellón", diz um proprietário de um bar.

Aos fins de semana as discotecas já podem abrir até às 03:00, e alguns jovens admitem que não utilizam todas as precauções, nomeadamente a máscara.

De regresso a Lisboa, no aeroporto voltam a confirmar o teste no check-in, tarefa a cargo da companhia aérea. Preenchemos o formulário da Direção-Geral da Saúde, que é menos pormenorizado que o exigido em Espanha.

Já no Aeroporto Humberto Delgado, nenhum dos passageiros foi abordado pelos funcionários para a certificação.

Contactado pela TVI, o Serviço de Estrangeiros e Fronteiras garante que é responsabilidade das companhias aéreas fazer esse controlo na União Europeia.

António Assis Teixeira