A estação de Arroios do Metro de Lisboa reabriu esta terça-feira, depois de quatro anos de obras. A cerimónia contou com a presença do ministro do Ambiente e da Ação Climática, João Matos Fernandes.

Foi de facto complexo ter entrado no carril certo esta obra. Está feita, com sete milhões de euros de investimento, e permite que em toda a rede de metro se use comboios de seis carruagens.”

Esta estação pode agora receber comboios de seis carruagens e tem elevadores que lhe conferem “acessibilidade plena”, segundo o Metropolitano de Lisboa.

Com a reabertura da estação Arroios, o Metropolitano de Lisboa passa a ter 41 estações (das 56 existentes) dotadas de acessibilidade plena, isto é, dispõem de acesso entre a superfície e o cais de embarque para pessoas com mobilidade reduzida, o que corresponde a 73,2% da totalidade das estações da rede.”

A conclusão das obras estava prevista para o primeiro semestre de 2019, mas, alegando incumprimentos contratuais do empreiteiro, o Metro rescindiu o contrato e um novo concurso foi adjudicado em setembro desse mesmo ano.

Em comunicado, o Metro de Lisboa afirmou então que a empreitada foi adjudicada pelo preço contratual de mais de 6,6 milhões de euros, acrescido de IVA.

A consignação da empreitada foi assinada em janeiro de 2020, com previsão de que as obras decorressem durante 18 meses a partir de então, estando a abertura prevista para o segundo semestre deste ano.