A Administração Regional de Saúde de Lisboa e Vale do Tejo (ARSLVT) recomendou esta sexta-feira cuidados especiais às instituições da Segurança Social, residências para idosos e unidades de cuidados continuados a propósito da vaga de frio.

A ARSLVT, através do Departamento de Saúde Pública, recomenda o reforço das medidas de prevenção, tendo em conta as previsões de uma vaga de frio com possibilidade de temperaturas negativas e que se deve estender por uma semana (segundo previsões do Instituto Português do Mar e da Atmosfera - IPMA), afirma a instituição num comunicado hoje divulgado.

A ARSLVT alerta igualmente toda a população para a conveniência de tomar medidas básicas de prevenção e proteção da saúde”, diz-se no comunicado, no qual se lembra que em caso de necessidade as pessoas devem ligar para a linha Saúde 24 (808242424) ou ir ao centro de saúde mais próximo, evitando as urgências hospitalares.

Alertando para as consequências para a saúde da exposição ao frio intenso, particularmente durante vários dias consecutivos, a ARSLVT recomenda à população para se manter protegida do frio, especialmente se tiver algum problema de saúde, evitando fazer escorços físicos intensos ao ar livre.

No comunicado recomenda-se nomeadamente que as temperaturas das casas se mantenham entre os 18 e os 21 graus, que se tenha atenção à ventilação no caso do uso de lareiras, braseiras, salamandras ou equipamentos de aquecimento a gás, que se usem várias camadas de roupa e que se façam refeições mais frequentes e quentes.

As previsões do IPMA apontam para temperaturas muito baixas durante toda a próxima semana que nalguns dias podem oscilar entre os dois e os 10 graus na região da Lisboa. Em regiões como Bragança as temperaturas podem descer aos cinco graus negativos, com dois graus negativos já no próximo sábado.