Ainda se morre - e muito - à espera de uma operação em Portugal. No programa "Deus e o Diabo" deste sábado, José Eduardo Moniz entrevistou o bastonário da Ordem dos Médicos, Miguel Guimarães, que deu conta que dados de 2016 revelados pelo Tribunal de Contas mostram que, nesse ano, morreram 2.601 pessoas à espera de uma cirurgia, sendo que dessas cerca de 200 eram doentes oncológicos. 

Neste programa, também o retrato de um país na rota mundial do narcotráfico. Geograficamente, Portugal está posicionado num ponto estratégico que permite a passagem para todo o continente europeu, o que leva a que seja passagem recorrente de organizações criminosas para traficar estupefacientes. 

Houve tempo ainda para uma entrevista em estúdio com Sónia, uma mulher vítima de violência doméstica que teve de se refugiar numa casa abrigo e que não se conforma nem com a permissão para visitas do agressor aos filhos, nem com o facto de ela e os menores terem sido obrigados a sair de casa. 

Perceba também quem foi o "bombeiro de serviço" na greve dos motoristas de mercadorias perigosas que lançou o caos no abastecimento de combustíveis e a leitura política a fazer dessa escolha.

No que toca às contas portuguesas, uma análise à "magia" feita pelo ministro das Finanças de um Governo que mudou de opinião em três semanas, segundo José Eduardo Moniz.