A circulação rodoviária nas estradas regionais dos Açores condicionadas preventivamente antes da passagem do furacão Lorenzo está reposta em quase todos os troços, anunciou esta sexta-feira a Secretaria Regional dos Transportes e Obras Públicas.

Numa nota enviada às redações, o executivo açoriano acrescenta que apenas nas ilhas do Faial e do Pico se registam ainda troços de estrada condicionados.

No Faial, no troço da Estrada Regional N.º 1-1.ª entre o entroncamento com a Rua das Canadinhas e o entroncamento com a Canada dos Arrendamentos continuam os trabalhos de limpeza, prevendo-se que as condições necessárias à abertura da estrada estejam repostas até ao final do dia, estando dependentes das condições climatéricas durante a tarde desta sexta-feira", lê-se na nota.

Por seu lado, o troço da Estrada Regional N.º 1-1.ª entre o entroncamento com a Rua Manuel Greves e a Praceta Dr. Luís Decq Mota mantém-se encerrado.

A Direção Regional das Obras Públicas prevê que, "a meio da próxima semana, possa ser aberto o troço entre o entroncamento com a Rua Zeferino de Oliveira e a Rua Capelo Ivens".

Ainda no Faial, o troço entre o entroncamento com a Rua Manuel Greves e o entroncamento com a Rua Zeferino de Oliveira "vai manter-se encerrado por tempo ainda indeterminado, dada a necessidade de execução de trabalhos de maior monta para reposição das condições de circulação".

Na ilha do Pico, no troço do Ramal da Areia Larga entre a Rua Dr. Manuel de Arriaga e a Canada João Paulino continuam os trabalhos de remoção de entulhos e limpezas, e de inventariação de estragos, essencialmente em muros contíguos à estrada, prevendo-se que possa vir a ser reaberto ainda esta sexta-feira, ao final do dia, mas com circulação automóvel condicionada ao limite máximo de 30 quilómetros por hora.

Nas Flores, continuam os trabalhos de limpeza e remoção de detritos no troço entre Santa Cruz e a Fazenda das Lajes, mantendo-se este troço transitável de forma condicionada, até ao final desta sexta-feira.

A passagem do furacão Lorenzo pelos Açores, na quarta-feira, provocou mais de 250 ocorrências e obrigou ao realojamento de 53 pessoas.

/ CE