A custódia de Lourenço Salvador, o bebé que nasceu 15 semanas depois da morte cerebral da mãe, foi entregue ao pai depois do progenitor e os avós maternos terem chegado a acordo

O acordo foi conseguido no Tribunal de Família de Menores de Vila Franca de Xira e ficou ainda estabelecido que os avós podem ver a criança quando quiserem na casa do pai, mediante aviso prévio, e o direito a estar com a criança durante um fim-de-semana por mês durante quatro horas.

A TVI sabe que esta decisão manter-se-à até que Lourenço Salvador complete um ano de vida, altura em que haverá nova audiência. 

O entendimento entre as duas partes coloca assim fim à disputa parental pela custódia do "bebé milagre", que durava desde junho.

A disputa pela custódia do bebé milagre, como ficou conhecido, começou logo após o seu nascimento. Os avós maternos contavam ficar com o neto, uma vez que o pai, durante o período de gestação tinha afirmado não ter condições para criar o filho. Mas, assim que a criança nasceu, o pai de Lourenço mudou de ideias e levou o filho para casa. Os avós maternos interpuseram um processo de relação parental para ficar com a custódia.