Os cães de raças perigosas estão associados a outro tipo de criminalidade além das lutas ilegais ou assaltos usando os animais como arma de intimidação. O furto de cães de raça é muitas vezes efectuado com o intuito de obter o dinheiro das recompensas.

O furto destes animais depende muitas vezes do sentido de oportunidade. Isto é, os suspeitos seleccionam e monitorizam os alvos esperando pela altura certa para atacar. Depois de efectuado o furto do animal, é habitual a colocação de anúncio nos jornais, por parte dos donos, a oferecer recompensas.

Os suspeitos devolvem então o animal furtado e apoderam-se das recompensas. Aparentemente, estes furtos são efectuados por redes «medianamente» organizadas; no entanto, a PSP não descarta a possibilidade de existirem redes com níveis de organização superior.

Quando não é possível obter as recompensas dos furtos o destino dos animais é, muitas vezes, trágico. As lutas de cães surgem como a forma mais fácil de o ladrão fazer dinheiro com o seu furto.

Os animais de raça são introduzidos nas lutas. Já os outros são utilizados como «isco». Isto é, são usados em «lutas de treino» com cães de raça. Existem relatos de casos em que labradadores são lançados para as arenas sem qualquer espécie de defesa dos «assassinos» treinados.

Segundo uma estatística efectuada em 2001, mais de 50 cães eram foram furtados todos os meses.