A Maternidade Alfredo da Costa terá demorado um mês para entregar à família o corpo de uma bebé que nasceu morta.

A mãe, que só esta segunda-feira conseguiu fazer o funeral à filha, diz que não lhe foram dadas quaisquer explicações e que ainda aguarda o resultado da autópsia.

“Demoraram 15 dias para fazer a autópsia e um mês para me entregar o corpo da criança”, contou à TVI Denise Furtado.

Denise tem 18 anos e tinha seis meses de gravidez quando a bebé nasceu. Quando entrou em trabalho de parto, já lhe tinham dito que a bebé estava morta, mas, uma semana antes, já tinha ido ao hospital.

“Uma semana antes tinha vindo ao hospital com contrações e muitas dores e os médicos disseram-me que era cólicas e eu fui para casa. Depois voltei, com as mesmas dores, e ela já tinha morrido.”

O Centro Hospitalar de Lisboa Central, a que pertence a Maternidade Alfredo da Costa, refere que a autópsia foi realizada a 16 de abril e que toda a documentação ficou disponível a 19, mas que o hospital só foi contactado dias depois. Desconhece, por isso, porque não foi feito o funeral anteriormente.