O homem que esfaqueou até à morte a ex-companheira, em abril de 2017, no Funchal, foi esta sexta-feira condenado a 23 anos de prisão pelo Tribunal da Comarca da Madeira.

O arguido, preparador físico, com 44 anos, foi acusado dos crimes de homicídio qualificado, de violência doméstica da ex-companheira, que foi subdiretora da Loja do Cidadão no Funchal, e de resistência e coação sob funcionário [PSP]. Por esses crimes, foi condenado a 21 anos pelo homicídio , a dois anos por violência doméstica e a dois anos por resistência e coação à polícia, sendo o cúmulo jurídico de 23 anos (com uma redução de dois anos uma vez que  que a soma de todas as condenações perfazem 25 anos). Além disso, terá de pagar uma indemnização de 600 mil euros à família da vítima. 

O julgamento começou na Instância Central do Tribunal da Comarca da Madeira, a 24 de maio, tendo o coletivo presidido pela juíza Carla Meneses considerado que o arguido “agiu com o propósito de tirar a vida” da vítima.