Um documentário sobre o desaparecimento de Maddie McCann estreia-se esta quarta-feira na plataforma Netflix e defende a possibilidade de a menina britânica estar viva depois de ter sido raptada por um grupo ligado ao tráfico de pessoas.

Jim Gamble, polícia especialista em proteção de crianças e que esteve envolvido na primeira investigação deste caso, insiste nesta produção documental que, 12 anos depois do desaparecimento da criança, o mistério ainda será resolvido, escreve o The Sun.

"O Desaparecimento de Madeleine McCann” é o novo documentário sobre o caso da britânica desaparecida da praia da Luz, no Algarve, em 2007, e conta com a participação de 40 especialistas e figuras-chave deste caso.

Alguns dos depoimentos destas pessoas são no sentido de a criança, na altura com três anos, ter sido raptada por um gangue de tráfico humano e levada para o estrangeiro.

Além dos depoimentos das dezenas de especialistas, o documentário traz uma mensagem de esperança com as autoridades a afirmarem a convicção de que este caso, com mais de uma década, ainda será resolvido.

Eu acredito piamente que ainda se vai descobrir o que aconteceu a Madeleine McCann”, afirma Jim Gamble, citado pelo jornal britânico.

Há que ter esperança nos avanços da tecnologia. Ano após ano, o ADN está a melhorar. Ano após ano, novas técnicas, incluindo reconhecimento facial, estão a ver progressos”, sublinha o polícia. “Da mesma forma que usamos essa tecnologia para revisitar e rever o que conseguimos no passado, é provável que algo que já conhecemos se venha a encaixar”.

O documentário, que levou cerca de dois anos a ser concretizado, também defende que Madeleine pode ter sido mantida viva pelos traficantes porque, tendo em conta que vem de uma família de classe médica britânica, pode ser financeiramente mais valiosa.

Geralmente, eles procuram crianças de classes mais baixas, de países de terceiro mundo. Esse é o maior “fornecedor” destes gangues”, esclarece Julian Peribanez, o investigador privado contratado pelos pais McCann.

O documentário sobre a criança desaparecida a 3 de maio de 2007 no Algarve surge na forma de série, com oito episódios. A estreia está marcada para esta sexta-feira e as expectativas são elevadas.