Uma mulher foi condenada a 17 anos de prisão depois de o tribunal ter dado como provadas sete tentativas de homicídio contra o próprio filho. O acórdão foi lido no Campus de Justiça de Lisboa esta segunda-feira. 

Patrícia Ribeiro tentou matar a criança através do método de afogamento, através de asfixia e cinco vezes por administração de clorofórmio. Numa das vezes foi mesmo apanhada em flagrante a injetar um líquido venenoso enquanto o filho estava no hospital Dona Estefânia. As autoridades acreditam que a administração do líquido terá sido prolongada no tempo.

Os crimes foram cometidos entre os meses de abril e junho, sendo que a autora confessou a maioria dos mesmos. Outra prova essencial para a decisão final foi o testemunho da criança.

A mulher terá tentado matar o filho, de sete anos, após ter sofrido um desgosto amoroso. A progenitora pensou que talvez conseguisse chamar a atenção do ex-companheiro caso ficasse sem o filho.

Além dos 17 anos de prisão a que foi condenada, Patrícia Ribeiro terá de pagar uma indemnização de 300 mil euros ao filho e uma outra compensação de 25 mil euros ao pai da criança.

A decisão do coletivo de juízes pode ser alvo de recurso. 

António Guimarães