O ministro da Administração Interna elogiou esta terça-feira a actuação do Serviço de Estrangeiros e Fronteiras (SEF) no combate ao crime violento e organizado. Rui Pereira destacou que o SEF aumentou quase 50% a actividade de fiscalização em 2008, noticia a Lusa.

Rui Pereira, que falava na cerimónia de posse do novo director nacional adjunto do SEF, Joaquim Pedro Oliveira, afirmou que «o SEF está atento às necessidades do nosso tempo para fazer face a uma criminalidade mais grave, violenta e organizada».

De acordo com os números citados pelo ministro, o SEF fez «9734 acções de fiscalização [em 2008], um aumento de 44,7% em relação a 2007».

Sem referir dados absolutos, Rui Pereira apontou que, relativamente a 2007, o ano de 2008 viu crescer mais de 67% os processos de contra-ordenação levantados pelo serviço. O ministro acrescentou que se registou ainda um aumento de 91% nos processos-crime instaurados.

Quanto às notificações para abandono voluntário do País a imigrantes que se encontravam em situação ilegal, aumentaram 10%, destacou.

Manifestando «toda a confiança do Ministério da Administração Interna e do Governo» em Joaquim Pedro Oliveira, Rui Pereira apontou ainda a responsabilidade do SEF na fase de alargamento das fronteiras da União Europeia, com a adesão de novos Estados-membros.

Frisou ainda a «cooperação internacional» do serviço com outros organismos congéneres, nomeadamente «no âmbito da Comunidade dos Países de Língua Oficial Portuguesa».

No breve discurso de posse, Joaquim Pedro Oliveira, que substituiu Leonor Rodrigues, afirmou apenas que «quem entra na equipa [do SEF] arrisca-se a ganhar», afirmando-se «à altura do desafio».