Pais, professores e alunos vão manifestar-se, neste domingo, em Lisboa, por uma escola melhor.

A marcha pela Educação tem início às 15 horas, junto ao Teatro Tivoli, e termina na Praça do Comércio.

Com esta manifestação esperam mobilizar a sociedade para uma mudança de paradigma, focando a atenção em alguns pontos que consideram essenciais.

Consideramos que o modelo de ensino tradicional, que ainda vigora maioritariamente nas nossas escolas, não vai ao encontro das necessidades das crianças/jovens e do seu desenvolvimento integral. Ao longo dos anos surgem, no nosso sistema de ensino, inúmeras alterações que ainda não refletem uma verdadeira mudança. São quase sempre ajustes ou remendos a um funcionamento que está, por si só desgastado, antiquado e obsoleto", defende o MAPPE - Movimento Pais, Professores, Educadores e Alunos Unidos, na divulgação da iniciativa na rede social Facebook.

Essencialmente, defendem alterações nas metas curriculares (mais curtas mas mais profundas), avaliações qualitativas (não só focadas em testes), verdadeira inclusão (todos podem aprender), aprendizagem ativa (com a participação dos alunos), existência de espaços exteriores escolares (menos cimento e mais árvores) e a disciplina positiva (autoridade sem autoritarismo).

Queremos colaborar para que a escola faça realmente parte da comunidade e que seja uma extensão das famílias. Que os pais que querem e têm disponibilidade para participar, possam ser envolvidos em atividades do quotidiano e que o acesso à mesma não lhes seja vedado. Cada vez mais é prática comum que jardins-de-infância e escolas com alunos do 1º ciclo não permitam a entrada dos pais, com crianças a serem entregues e recolhidas na recepção, como se de mercadoria se tratasse. Com regras claras e definidas, respeitando os limites e funcionamento das escolas, é possível que todos os intervenientes na educação das crianças façam parte de um todo que visa um interesse comum", acreditam.

Esta é uma iniciativa do MAPPE e da Associação Movimento Pais e Amigos para a Inclusão em Portugaluma organização que "quer intervir em diferentes áreas onde existe a exclusão de pessoas com Necessidades Educativas Especiais e/ou com deficiência", referem no Facebook.