Cerca de uma centena de alunos da Escola Secundária Rafael Bordalo Pinheiro, nas Caldas da Rainha, estavam ao início da manhã a manifestar-se contra os cortes na educação e novo estatuto do aluno.

Os estudantes concentraram-se junto à principal entrada da escola secundária a partir das 08:30, em protesto «contra os cortes que o Governo está a fazer na educação e que prejudicam bastante os alunos», disse à Lusa Rui Gouveia, um dos organizadores da manifestação.

A palavras de ordem como «O passe escolar não é para cortar», os alunos juntam outras como «O estatuto é um muro! Assim não há futuro» para demonstrar descontentamento em relação ao novo estatuto do aluno, que consideram «muito injusto».

André Gomes, do 12º ano do curso de Turismo, juntou-se ao protesto para «pressionar o Governo para que recue nesta lei em que podemos ser obrigados a pagar uma multa por faltas de presença ou se o telemóvel tocar numa aula», medidas que considera «excessivas».

Apesar da manifestação, os portões da escola mantêm-se abertos e a maioria dos 970 alunos do estabelecimento optaram por comparecer às aulas, apurou a Lusa.