Inspirados no movimento francês, os Coletes Amarelos portugueses querem parar o país esta sexta-feira. De Norte a Sul, são esperadas concentrações e marchas lentas que prometem alterar as rotinas de cidades como Lisboa, Porto, Braga, Viseu ou Faro. Tudo isto, dizem os organizadores, sem violência. Mas porque em Paris os protestos ficaram marcados por confrontos violentos e centenas de detenções, as autoridades estão em alerta. 

As manifestações dos Coletes Amarelos portugueses estão a ser convocadas através das redes sociais, nomeadamente com recurso a eventos no Facebook e devem começar logo pela manhãzinha, por volta das 7:00.

Na quarta-feira, o "Movimento Coletes Amarelos Portugal", página com cerca de 5.000 seguidores no Facebook, divulgou uma lista de ações que estão previstas no território nacional.

Entretanto, esta quinta-feira a Polícia de Segurança Pública (PSP) divulgou, num comunicado enviado às redações, uma lista de 25 protestos que estão agendados para 17 cidades.

Na zona de Lisboa há marchas lentas agendadas para o IC19 e para a Ponte 25 de Abril, paralisações nas portagens da A8 e nas portagens da A1 em Alverca e concentrações agendadas para a Rotunda do Marquês de Pombal e para o Palácio de Belém. Já na margem sul, há paralisações agendadas para bombas de gasolina e autoestradas no Montijo. Todas as iniciativas estão agendadas para as 7:00, à exceção da do Palácio de Belém que está prevista para as 17:30.

No Porto, a concentração deve começar às 7:00 na Via de Cintura Interna (VCI) junto à saída para as Antas e também deverá afetar a Avenida AEP. Os manifestantes devem seguir depois para a Avenida dos Aliados, onde um protesto está marcado para as 19:00.

Há também manifestações marcadas para Viana do Castelo (na Praça da República), Braga (junto ao nó de Enfias), Aveiro (junto ao hipermercado Pingo Doce), Coimbra (na Rotunda da Casa do Sal), Viseu (no Rossio, no Reigoso e junto à Câmara Municipal), Guarda (junto à Rotunda Ti Joaquina), Santarém (na rotunda do hipermercado Continente), Setúbal (na rotunda dos "Golfinhos"), Faro (junto à rotunda do Fórum Algarve). 

Bragança, Castelo Branco, Évora, Leiria, Açores e Madeira também devem ser palco de protestos dos coletes amarelos.

No comunicado enviado, a PSP avisa que nestes locais podem ocorrer "alguns constrangimentos na circulação automóvel" e, por isso, recomenda que os cidadãos "utilizem os transportes públicos", verifiquem "se o itinerário não se encontra com a circulação condicionada", prefiram caminhos "que não impliquem a passagem pelos locais referenciados" e conduzam "com prudência".

A força de segurança pede aos manifestantes que "respeitem os princípios previstos na legislação em vigor que enquadra o direito de reunião e manifestação", que "respeitem as instruções e ordens da PSP", que "tenham em consideração os normativos em vigor que proíbem bloqueios de vias rodoviárias". Diz ainda que "os promotores das manifestações ou reuniões devem manter o contacto permanente com a PSP, de forma a garantir a realização dos protestos em segurança".

A Guarda Nacional Republicana também vai desenvolver na sexta-feira, além da sua atividade operacional diária, “ações de patrulhamento intensivo de grande visibilidade” devido ao protesto. Estas ações destinam-se a “prevenir a ocorrência de ilícitos contraordenacionais e criminais e, por outro, garantir a segurança e a normal tranquilidade pública”, lê-se num comunicado enviado à Lusa.

As operações serão reforçadas na A1 junto à portagem de Alverca, na A2 acesso à Ponte 25 de Abril, na A8 portagem de Loures, na A12 Ponte Vasco da Gama, na A1 Ponte da Arrábida, no Porto, na A28/A3/A4 nos acessos à cidade do Porto, na A3/A11 nos acessos à cidade de Braga e na A25/A17 nos acessos à cidade de Aveiro.

Veja a lista completa dos locais onde vão decorrer os protestos:

LISBOA

Pt. 25 Abril

Prç. Marquês de Pombal - A.R.

Palácio de Belém

A8 (T. Vedras-Lisboa)

PORTO

VCI/Nó de Francos

Av. AEP

AÇORES

Ponta Delgada

MADEIRA

Rotunda do Infante

AVEIRO

Pingo Doce - Aveiro Hiper

BRAGA

Nó de Enfias

BRAGANÇA

Mirandela/Bragança

CASTELO BRANCO

A23

COIMBRA

Rotunda Casa do Sal

ÉVORA

Praça do Giraldo

Rossio São Brás

FARO

Praça 1º Maio - Portimão

Rotunda Fórum Algarve

GUARDA

Rotunda Ti Joaquina

LEIRIA

Caldas da Rainha

Estádio Dr. Magalhães Pessoa

SANTARÉM

Rotunda do Continente

SETÚBAL

Rotunda dos "Golfinhos"

VIANA DO CASTELO

Praça da República

VISEU

Junto à Câmara Municipal de Viseu

Rossio

 

Os Coletes Amarelos dizem que querem “amplificar o descontentamento” que consideram existir entre a população.

Num manifesto divulgado na quarta-feira, o grupo propõe um aumento do salário mínimo nacional, uma redução de impostos na eletricidade, com incidência nas taxas de audiovisual e emissão de dióxido de carbono, uma diminuição do IVA e do IRC para as micro e pequenas empresas, bem como o fim do imposto sobre produtos petrolíferos e redução para metade do IVA sobre combustíveis.

Não tolerando qualquer ato de violência ou vandalismo, o movimento, que se intitula como “pacífico e apartidário”, defende também o combate contra a corrupção.

A lista de reivindicações termina com a reforma do Serviço Nacional de Saúde, a revitalização dos setores primário e secundário e o direito à habitação e fim da crise imobiliária.

Os apelos aos protestos começaram a ser feitos por cidadãos anónimos da zona Oeste do país nas redes sociais, principalmente no Facebook, há cerca de três semanas.

Na terça-feira, o Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, sublinhou que "a situação em Portugal é diferente da situação em França".

No início da semana, a GNR e PSP disseram estar a acompanhar o processo através de recolha de informação no terreno, pelas redes sociais e com os promotores das iniciativas para ter pessoal operacional caso seja necessário.