A manifestação de sábado em Lisboa contra as novas medidas de austeridade vai condicionar o trânsito em algumas ruas e avenidas da capital, entre a Praça José Fontana e a Praça de Espanha, informou a PSP.

O protesto «Que se lixe a troika! Queremos as nossas vidas» tem início marcado para as 17:00, na Praça José Fontana, que será condicionada à circulação automóvel momentos antes, às 14:30, e cortada às 15:30.

À medida que a manifestação prossegue até à Praça de Espanha, onde termina, haverá, a partir das 16:00, condicionamentos de trânsito no eixo Praça Marquês de Pombal e Avenida Fontes Pereira de Melo, até ao Saldanha.

As perturbações na circulação automóvel seguem, depois, às 16:30, na Avenida da República, desde Entrecampos, com corte do trânsito no túnel até ao Saldanha e «com forte possibilidade» de encerramento das vias laterais da Avenida da República.

Posteriormente, pelas 16:45, o trânsito estará condicionado no eixo Praça de Espanha, Avenida da República, Avenida de Berna e Campo Pequeno, com encerramento da circulação automóvel às 17:00.

A essa hora haverá perturbações no eixo Avenida António Augusto Aguiar, Rua Ramalho Ortigão e Avenida Calouste Gulbenkian, na saída para a Rua de Campolide, seguindo-se o corte total no acesso à Praça de Espanha.

Igualmente às 17:00, a circulação automóvel ficará condicionada no cruzamento da Avenida dos Combatentes com a Avenida Lusíada e na Praça de Espanha, com desvio do trânsito para a Avenida Columbano Bordalo Pinheiro, seguindo-se o encerramento da Praça de Espanha.

Numa nota de imprensa, o Comando Metropolitano de Lisboa da Polícia de Segurança Pública pede aos condutores que, naquelas horas, evitem as vias que conduzem ao itinerário da manifestação, adiantando que «existirão elementos policiais a proceder ao desvio de trânsito», informando os automobilistas das alternativas de circulação.

Manifestações em pelo menos 25 cidades portuguesas estão marcadas para sábado, em protesto contra as novas medidas de austeridade anunciadas pelo Governo.

O apelo para a manifestação «Que se lixe a troika! Queremos as nossas vidas!» surgiu na Internet, através das redes sociais, com o protesto a ser inicialmente organizado em Lisboa e acabando por ser acolhido em várias regiões de Portugal, bem como em Macau (China), Fortaleza (Brasil), Berlim (Alemanha), Barcelona (Espanha), Paris (França) e Londres (Reino Unido).