O ministro da Economia, Manuel Caldeira Cabral, desvalorizou esta terça-feira os congestionamentos registados durante a manhã nos acessos à Web Summit, afirmando serem normais para um evento desta dimensão, e sublinhou o “enorme sucesso” da cimeira em Lisboa.

Em declarações à Lusa na Sunset Summit, que encerra o segundo dia do evento, no Pavilhão de Portugal, Caldeira Cabral frisou que a primeira edição da Web Summit em Portugal “está a ser um enorme sucesso e um enorme sucesso que vai convencer a Web Summit a ficar cá não três anos, mas cinco ou até mais”.

Nos períodos de ponta vai sempre haver congestionamento, quer nas estradas quer nos transportes públicos, mas isso é o que é normal num evento com 50 mil pessoas. O evento está a correr muito bem e, se falar com estrangeiros como temos falado, estão muito satisfeitos, quer com o evento em si, quer com os eventos paralelos que se multiplicaram”, declarou Caldeira Cabral questionado sobre um eventual receio de que as dificuldades nos transportes afetem a imagem da cidade.

Para o ministro, “o impacto em termos de imagem deste evento é um impacto extremamente positivo” e “as pessoas estão a elogiar imenso a organização e a capacidade de resposta do país e da cidade”.

Está a correr muito melhor do que os eventos anteriores, a nossa capacidade de acolhimento, de trazer as pessoas e de levar as pessoas tem corrido muito bem”, disse Caldeira Cabral.

O governante referiu que esta edição da Web Summit está a receber “mais gente do que as edições anteriores”, o que estará “a convencer a organização a empenhar-se em Portugal”.

A circulação do trânsito e a chegada de metro ao Parque das Nações esteve congestionada devido à realização da cimeira tecnológica, disseram à Lusa várias fontes durante a manhã.

De acordo com a PSP, a circulação automóvel esteve congestionada nos acessos à FIL, devido à grande afluência de pessoas ao evento, mas cortadas estão apenas as duas vias circundantes aos pavilhões da Feira, a avenida do Atlântico e a rua do Bojador, entre a FIL e o Meo Arena.

Uma fonte do Metropolitano de Lisboa disse à agência Lusa que as dificuldades registadas, quer na circulação do metro quer nas entradas e saídas das estações, prendiam-se com o afluxo de pessoas a este transporte devido à realização da Web Summit.

A Web Summit de Lisboa, que arrancou na segunda-feira, conta com mais de 53.000 participantes, de 166 países, incluindo 15.000 empresas, 7.000 presidentes executivos e 700 investidores.