O Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, lamentou o “grave acidente" ferroviário na zona de Soure, do qual resultaram dois mortos, e disse que aguardará “os resultados das investigações técnicas e judiciais”.

“O Presidente da República lamenta o grave acidente ferroviário desta tarde na Linha do Norte, de cujos detalhes foi informado pelo ministro das Infraestruturas e da Habitação, Pedro Nuno Santos”, lê-se numa nota divulgada no ‘site’ da Presidência.

Marcelo Rebelo de Sousa apresenta “sentidas condolências aos familiares e amigos das vítimas mortais” e deseja “rápidas melhoras aos numerosos feridos, aguardando os resultados das investigações técnicas e judiciais”.

À entrada para uma reunião com empresários, no Algarve, numa unidade hoteleira em Tavira, o chefe de Estado manifestou as condolências e solidarizou-se hoje com famílias das vítimas mortais e com os feridos do acidente ferroviário.

“Eu queria, antes de mais testemunhar, lamentando este acidente grave, o pesar e a solidariedade aos familiares das vítimas mortais, depois a solidariedade aos feridos graves - aos feridos todos eles, mas aos graves -, felizmente em pequeno número, para o número de passageiros que estava a circular no Alfa”, afirmou Marcelo Rebelo de Sousa.

O chefe de Estado português sublinhou “a rapidez com que o senhor ministro das Infraestruturas acompanhou esta matéria e permitiu que o presidente da República acompanhasse” também a situação, à distância, desde o Algarve,

“Deslocou-se ao sítio do acidente e empenhou-se no apuramento rápido das causas do sucedido”, elogiou o presidente da República, referindo-se ao ministro Pedro Nuno Santos, titular da pasta das Infraestruturas.

Marcelo Rebelo de Sousa deixou ainda uma “palavra para presidente da Câmara Municipal de Soure, que pôs à disposição para acolhimento dos passageiros - todos eles, feridos ligeiros e não feridos, mas naturalmente abalados pelo sucedido - uma infraestrutura municipal” para os acolher.

“Sei que foram transportados os feridos mais graves para Coimbra e amanhã tenciono, depois do funeral do bombeiro, em Cuba, no Alentejo, ir se for possível visitar ou, pelo menos, inteirar-me do estado de saúde dos feridos mais graves que foram hospitalizados”, anunciou.

Questionado sobre as causas do acidente, o chefe de Estado preferiu não se pronunciar, afirmando que isso “deve ser apurado pelos especialistas”.

“Não queria estar obviamente a comentar aquilo que deve ser objeto de um inquérito, de uma indagação, que embora rápida, seja conclusiva e permita determinar a causa deste acidente grave”, acrescentou.

Também o primeiro-ministro, António Costa, apresentou “as mais sentidas condolências às famílias e amigos” das vítimas do “trágico acidente” que envolveu um comboio Alfa Pendular, e disse estar a acompanhar a evolução da situação “em permanência”.

“Apresento as mais sentidas condolências às famílias e amigos dos funcionários da IP vítimas do trágico acidente ferroviário que ocorreu hoje na linha do Norte, em Soure”, distrito de Coimbra, escreveu o primeiro-ministro na sua conta oficial na rede social ‘Twitter’.

António Costa informou que está “a acompanhar em permanência o evoluir da situação” e indicou que, “tal como foi anunciado pelo Ministro das Infraestruturas e Habitação, já foi aberto um inquérito para o apuramento rápido das causas e responsabilidades deste grave acidente”, que lamenta “profundamente”.

“Desejo também rápidas melhoras aos feridos e dirijo uma palavra de solidariedade para todos aqueles que trabalham nos equipamentos e infraestruturas ferroviárias e que prestam um serviço inestimável aos portugueses”, acrescenta a nota do primeiro-ministro.

Um descarrilamento de um comboio Alfa Pendular, no concelho de Soure, distrito de Coimbra, fez hoje dois mortos e sete feridos graves, disse à agência Lusa o comandante distrital da Proteção Civil, Carlos Tavares.

O responsável adiantou que todos os feridos já foram retirados da composição e transportados para o Hospital de Coimbra.

O comboio seguia no sentido sul-norte e o descarrilamento ocorreu após o embate entre o Alfa Pendular e uma máquina de trabalho, tendo o alerta sido dado às 15:30, segundo a Autoridade Nacional de Emergência e Proteção Civil (ANEPC).

/ AM - notícia atualizada às 19:35