Numa nota publicada no site da Presidência da República, Marcelo Rebelo de Sousa garante que nunca recebeu "o Diretor da Polícia Judiciária Militar ou qualquer elemento dessa instituição". O Presidente da República garante ainda que nenhum membro da "Casa Civil ou Militar falou ou escreveu ao Presidente da República sobre a operação da descoberta das armas de Tancos, antes de ela ter ocorrido". 
 
Na mesma nota, o Presidente garante que não existe na "Casa Civil ou na Casa Militar da Presidência da República qualquer documento relativo a operação de recuperação das armas de Tancos, antes ou depois de ter ocorrido, incluindo quaisquer memorandos ou referências a reuniões com eles relacionados".
 
A Presidência da República garante que nenhum estafeta recebeu documentação da Polícia Judiciária Militar.
 
O programa "Sexta às Nove", da RTP 1, avançou há três dias com a notícia de que a Presidência da República teria sido informada da investigação da Polícia Judiciária Militar (PJM) ao furto de Tancos.

De acordo com a peça da RTP, o então diretor da PJM fez vários contactos com o ex-chefe da Casa Militar da Presidência, general João Cordeiro, antes e depois da recuperação das armas.