Tem apenas sete anos, mas uma experiência de vida que impressiona todos os que com ela se cruzam: a doença crónica, e grave, com que foi diagnosticada há pouco mais de um ano, prende Margarida a um tubo de oxigénio, 24 horas por dia. É a contar as horas que espera por um transplante pulmonar, uma cirurgia delicada que só pode ser feita em Barcelona, através de um dador morto, quando completar 11 anos, ou nos Estados Unidos, país onde a operação pode ser feita já, porém com um preço que a família não pode pagar.

O pai é pedreiro, a mãe foi obrigada a despedir-se para garantir que, ao longo de todo o dia, o oxigénio nunca falta à filha. Um prenúncio de uma história sem final feliz que Margarida tem transformado numa dádiva para inspirar outras pessoas, mesmo as mais velhas. No Facebook e no Instagram já é uma influenciadora, na vida real o melhor exemplo de que uma doença nunca condiciona aquilo que de melhor há dentro de cada um de nós.

Porque, no Natal, os presentes mais valiosos são quase sempre invisíveis aos olhos, não perca o que Margarida Fontes tem para lhe oferecer, no programa "Alexandra Borges", no Jornal das 8 da TVI. 

Alexandra Borges