Neste Dia da Mulher, o programa "Deus e o Diabo" contou com o difícil e corajoso testemunho de "Maria", uma vítima recente de violência doméstica, que viveu um inferno nos últimos dois meses. Aceitou falar com a TVI, a partir de casa (outra que não a sua, de onde teve de sair), num momento muito difícil da sua vida.

Sofri uma agressão brutal (...) com um filho de dois meses nos braços"

Veja o testemunho, na íntegra, no vídeo principal associado a este artigo.

Ainda sobre o tema de violência doméstica, José Eduardo Moniz recorda as promessas feitas por António Costa em 2015 e o que falhou nesta legislatura e fez a contas a quantas mulheres morreram nos últimos quatro anos de governação. 

Contou ainda com a presença de Joana Grilo, do Movimento 8 de Março, que adiantou que cerca de 30.000 mulheres saíram à rua em todo o país neste dia que foi também o dia da greve feminista e que falou sobre o que é preciso mudar no país. "Olhar para mulheres como objetos de consumo dá liberdade aos agressores", advertiu. No programa houve um pequeno debate, que contou com a participação de outras mulheres, por Skype, nem todas de acordo com esta greve.

Tempo ainda para analisar o incidente diplomático desta semana e os dois pesos de Marcelo Rebelo de Sousa, quando era comentador quando comparado com a sua atual posição de chefe de Estado (veja os vídeos associados ao artigo). Ainda os problemas no Novo Banco, o caso Neto de Moura e um alerta sobre a demora na renovação do cartão do cidadão. "O Simplex está cada vez mais complicado".