Em 2008 foram punidos pela Ordem dos advogados 359 profissionais por má conduta profissional. De acordo com o «Público», as infracções vão desde abuso de confiança, faltas deontológicas, faltas a julgamentos, abandono de clientes ou falta de interesse.

No que toca a penas, no mesmo ano, 130 advogados foram sancionados com multa, 115 foram advertidos, 94 punidos com censura, 18 suspensos e apenas um expulso. No entanto, apesar do aumento de participações, apenas 10, 28 por cento dos 1922 processos terminaram com condenações.

No âmbito das comemorações do Dia do Advogado, bastonário da Ordem, António Marinho Pinto afirmou que «alguns advogados» são «quase especialistas em ajudar certos clientes a praticar determinado tipo de delitos, sobretudo na área do delito económico».

O bastonário acrescentou ainda já ter sido alvo de assédio para compactuar com actos ilícitos e pediu para que sejam denunciadas as «maças podres». Em resposta o presidente do conselho superior da ordem, José António Barreiros, criticou Marinho Pinto por não ter concretizado as afirmações e considerou que estas podem dar «origem a um enorme equívoco».