“Está em como profundo, com uma hemorragia intracraniana, fruto de um traumatismo [em resultado] de uma pequena queda em casa”.
 
“A situação é muito complicada. Não tem indicação neurocirúrgica. De maneira que, neste momento, está numa situação de Glasgow3”, ou seja, “é um coma profundo que precede geralmente a morte do tronco cerebral. Não há grandes expetativas”, explicou Eduardo Barroso à TVI24. 


Maria Barroso deu entrada no hospital "consciente"

Estava “consciente. Fui eu que a levei no carro. Teve um dia felicíssimo. Perfeitamente lúcida, preocupada até com o facto de nós acharmos que não era preciso tirar o robe e vestir um vestido. Portanto, com uma lucidez total”, revela o sobrinho, que tinha já avisado o hospital que ia levar a tia às urgências. 












"grande tristeza"socialistas acompanham com elevada preocupação

Maria Barroso tem 90 anos









e cinco netos