A Liga dos Bombeiros Portugueses (LBP) anunciou este domingo que vai assinar na segunda-feira um acordo com o Instituto Nacional de Emergência Médica (INEM) definindo novas regras para a prestação do socorro pré-hospitalar pelos bombeiros.

Segundo um comunicado assinado pelo presidente da LBP, Jaime Marta Soares, os bombeiros garantem cerca de 90% de todo o serviço de emergência pré-hospitalar em Portugal.

O novo acordo "poderá não ser o ideal", mas "é o possível para definir novas regras e compensações que cubram os custos diretos suportados pelos bombeiros na prestação desse serviço em todo o território continental", considerou a Liga, acrescentando que "culmina um ano de intensas e difíceis negociações", com a participação da Autoridade Nacional de Emergência e Proteção Civil.

O acordo anterior poderá ter sido bom em tempo mas passaram-se muitos anos sem que tivesse sido revisto", apesar de "todos os custos terem aumentado sem parar, seja combustíveis, manutenção e reparação de viaturas, oxigénio, consumíveis ou vencimentos dos tripulantes", pode ler-se no comunicado.

Segundo a LBP, a situação foi agravada durante o período pandémico, "uma vez que foram os bombeiros que garantiram, e garantem, a esmagadora maioria dos serviços de transporte de doentes suspeitos de covid-19".

A cerimónia de assinatura será presidida pelo secretário de Estado Adjunto e da Saúde, António Lacerda Sales, e conta com a presença de Jaime Marta Soares.

Agência Lusa / NM