A ministra da Saúde, Marta Temido, fez esta terça-feira um “balanço francamente positivo” do processo de vacinação contra a covid-19, cuja ‘task force’ de coordenação foi hoje dada por encerrada pelo vice-almirante Henrique Gouveia e Melo.

Com 84,03% da população residente com a vacinação completa, Marta Temido salientou o esforço de coesão nacional feito pelo governo, expresso em reuniões semanais para acompanhamento do planeamento da operação logística, mas valorizou, sobretudo o esforço dos portugueses.

“Houve aqui um esforço de coesão nacional que conduziu muito a estes resultados. O aspeto mais importante foi, sem dúvida nenhuma, a adesão dos portugueses à vacinação, a tradição de confiança nas autoridades de saúde e num plano de vacinação que é voluntário e que sempre teve na base a melhor evidência (prova científica)”, afirmou.

“É um balanço francamente positivo e que só foi possível de atingir porque conseguimos trabalhar todos em conjunto”, afirmou a ministra.

 

Em declarações à margem do último ‘briefing’ da ‘task force', realizado no Comando Conjunto das Operações Militares, em Oeiras, e que contou ainda com as presenças do primeiro-ministro, António Costa, e do ministro da Defesa, João Gomes Cravinho, Marta Temido esclareceu também que a revisão das condições de isolamento para crianças e jovens vacinados será conhecida em breve.

 

“A Direção-Geral da Saúde está neste momento a trabalhar em articulação com o Ministério da Saúde num conjunto de normas que decorrem da evolução daquilo que é o nosso estado vacinal, portanto, 85% de vacinação, e que tem de ter um reflexo nas regras -, mas também daquilo que são regras fixadas em termos das últimas decisões do Conselho Ministros”, disse.

 

“Esperamos que no final desta semana e até domingo estejamos em condições de ter todo este conjunto de regras conhecidas por todos e aplicadas por todos”, adiantou Marta Temido.

Em Portugal, desde março de 2020, morreram 17.995 pessoas e foram contabilizados 1.067.175 casos de infeção, segundo dados da Direção-Geral da Saúde.

Agência Lusa / BMA