Num momento em que o número de infetados em Portugal atingiu os 11. 730, registando-se 311 vítimas mortais, o presidente da Associação de Médicos de Saúde Pública, Ricardo Mexia e o advogado Telmo Semião juntaram-se esta segunda-feira para responder a algumas das mais relevantes perguntas sobre o impacto da pandemia na saúde e no emprego.

 

Se a pessoa não tiver máscara, pode improvisar uma?

 

O médico Ricardo Mexia admite que esta é uma questão que tem gerado muita controvérsia e tem existido uma evolução sobre aquilo que têm sido as orientações da comunidade médica.

Sinalizando a urgência da permanência em casa, o especialista sublinha que a máscara é útil para quem tem de ir à rua ou deslocar-se a zonas com muita gente.

“A dificuldade na obtenção de máscaras é algo que tem sido refletido nos apelos dos profissionais de saúde. É uma questão que terá de ser tratada nos próximos dias”, afirma o médico.

 

Em relação a encontrar uma solução alternativa, Ricardo Mexia diz que a Associação de Médicos de Saúde Pública está a desenvolver uma compilação de materiais e tecidos que são eficazes no combate à Covid-19 e que não dão “uma sensação de falsa segurança”.

Ricardo Mexia explica ainda que a utilização da máscara é mais importante para que não haja transmissão da doença, do que para a proteção individual.

As penhoras fora do Âmbito do Fisco e Segurança Social também ficam suspensas?

O advogado Telmo Semião esclarece que, por via de alguns casos de redução de vencimentos de empresas que adiram ao regime do lay-off simplificado, “pode haver eventualmente uma impossibilidade de penhoras”, embora não exista de momento qualquer indicação legal no âmbito desta matéria.

 

Existe perigo ao lavar a roupa nas lavandarias self-service?

 

O especialista em saúde pública afirma que é necessário perceber que produtos são utilizados  e se têm desinfetante ou capacidade de inativar o vírus.

“A altas temperaturas, o vírus acaba por ser inativado. Em relação às baixas temperaturas, tudo depende dos produtos utilizados”, explica Ricardo Mexia, sublinhando que é importante sinalizar a diferença entre alguém que presta cuidados a doentes e alguém que circula na comunidade.

 

 

É possível a caducidade de contratos de trabalho?

 

Telmo Semião afirma que, no âmbito da lei, a caducidade é permitida, mas apenas se se verificarem as condições que levaram à cessação do contrato de trabalho a termo,

“É possível que haja caducidade dos contratos de trabalho a termo, ainda que a empresa tenha aderido por hipótese ao regime de lay-off”, esclarece

 

 

Em tempos de incerteza, medo e ansiedade, a Tuna de Engenharia da Universidade do Porto lembra o país que vai ficar tudo bem. Nas palavras do génio da Música Popular Brasileira, Martinho da Vila, os universitários fazem uso dos instrumentos para tocarem "Canta Canta, Minha Gente".