A chuva forte que se fez sentir na tarde de domingo  nos Açores provocou inundações em moradias, obstrução de estradas e derrocadas, revelou fonte da Proteção Civil.

Segundo explicou à Lusa o vice-presidente do Serviço Regional de Proteção Civil e Bombeiros dos Açores (SRPVBA), Osório Silva, foram registadas, ao todo, cerca de 30 ocorrências no arquipélago, principalmente nas ilhas do grupo central (Faial, Pico, São Jorge, Graciosa e Terceira).

Tivemos 12 inundações em moradias, das quais seis em Angra do Heroísmo, uma na Praia da Vitória, três nas Velas, em São Jorge, e duas em São Roque do Pico", adiantou Osório Silva, indicando que não foi necessário, no entanto, proceder ao realojamento de nenhuma das famílias afetadas.

As outras ocorrências registadas pela Proteção Civil açoriana estão relacionadas com inundações e obstruções de estradas, derrocadas e quedas de árvores, que provocaram apenas danos materiais, mas que não causaram danos pessoais.

Segundo o vice-presidente do SRPCBA, estas ocorrências resultam, em grande parte, do facto de os solos estarem encharcados, devido às chuvas fortes dos últimos dias, provocadas pela passagem pelo arquipélago da depressão Kyllian.

A Proteção Civil acionou a sua 'sala de situação', o que permitiu acompanhar de perto todas estas ocorrências, que já foram, entretanto, resolvidas", adiantou Osório Silva.

O Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IMPA) colocou todas as ilhas dos Açores sob aviso amarelo, até à meia-noite de hoje (01:00 em Lisboa), devido à previsão de chuva forte, vento e trovoada.