O mau tempo provocado pela depressão Bárbara já provocou 654 ocorrências e mobilizou 2200 operacionais em todo o país, avançou esta terça-feira o ministro da Administração Interna.

Eduardo Cabrita explicou ainda que o horário de maior perigo situa-se entre o meio-dia e as 18:00 desta terça-feira.

O Instituto Português do Mar e da Atmosfera, avança o ministro, enviou um alerta de risco de inundações, "fundamentalmente no centro e sul do país", sendo que esse aviso foi mimetizado pela Proteção Civil que entre segunda e terça-feira enviou sete milhões de SMS's.

Chuva e vento  forte nas próximas 48 horas. Risco de inundações. Fique atento e siga as recomendações das autoridades", afirma a mensagem enviada pela Autoridade Nacional de Emergência e Proteção Civil.

Os distritos de Évora, Faro e Beja vão juntaram-se esta terça-feira aos de Setúbal, Lisboa, Santarém, Castelo Branco e Portalegre que a partir das 12:00 estão sob aviso vermelho por causa da chuva, segundo o IPMA.

Os oito distritos estão sob aviso vermelho devido à previsão de chuva por vezes forte e persistente e ocasionalmente acompanhada de trovoada e possibilidade de ocorrência de fenómenos extremos de vento.

O estado de alerta laranja, ativado quando o grau de risco é elevado e é expectável uma situação de perigo com condições para a ocorrência de fenómenos invulgares que podem causar danos a pessoas e bens, colocando em causa a sua segurança, vai estar em vigor até às 23:59 de quarta-feira.

A ANEPC já hoje elevou o nível de alerta laranja para toda a estrutura operacional para 11 distritos fundamentalmente do Centro e Sul do país, estando os restantes em amarelo”, disse o ministro da Administração Interna, dando conta que foram enviados, na segunda-feira à tarde, sete milhões de mensagens escritas por telemóvel (SMS) no âmbito do mecanismo de alerta de emergência dirigido às populações.

Segundo o ministro, o período de maior risco de chuva e vento forte ocorreu na segunda-feira, entre as 18:00 e as 00:00, voltando a registar-se um agravamento das condições meteorológicas esta terça-feira à tarde, a partir das 12:00 e até às 18:00.

Presente na conferencia de imprensa, o comandante operacional nacional da ANEPC, Duarte Costa, especificou que as situações de “maior risco e perigosidade” vão verificar-se durante o dia de hoje, mas o alerta laranja vai prolongar-se até quarta-feira, uma vez que é necessário manter o dispositivo para fazer face ao que esta situação meteorológica pode deixar.

Duarte Costa avançou que, ao longo da tarde de hoje, a situação mais grave está prevista acontecer no sul do país, principalmente no distrito de Faro.

O comandante operacional nacional aconselhou ainda a população a ter os cuidados preventivos, como condução defensiva, obstrução de águas, não atravessar zonas inundadas e fixação das estruturas móveis existente em casas.

Portugal continental está sob o efeito da depressão Bárbara, que dará origem a precipitação forte, aumento da intensidade do vento com rajadas até 100 quilómetros por hora e até 130 quilómetros por hora nas terras altas e agitação marítima, em especial na costa da região sul.

Henrique Magalhães Claudino / atualizada com Lusa às 14:30