Morreu esta quinta-feira um dos 18 galgos retirados ao cavaleiro João Moura.

A TVI sabe que os galgos pernoitaram num camião da GNR, entre quarta e quinta-feira e que um dos cães acabou por morrer. 

Nove dos galgos foram para um refúgio de animais na Marateca e já estão disponíveis para adoção. Os restantes cães estão a ser distribuídos por várias associações pelo país.

A GNR divulgou esta quinta-feira, em comunicado, imagens dos 18 galgos apreendidos ao cavaleiro João Moura, que foi ontem detido por maus-tratos a animais.

Na nota, as autoridades referem que foi detido "um homem de 59 anos, no âmbito de um processo crime de maus-tratos e abandono de animais de companhia, no concelho de Monforte. Na sequência de uma investigação por maus-tratos a animais de companhia, os militares apuraram que os referidos cães se encontravam subnutridos e que não lhes eram prestados os devidos cuidados de bem estar-animal". 

A GNR acrescenta ainda que foi dado cumprimento a um mandado de busca domiciliária que resultou no resgate dos 18 cães, "subnutridos e sem condições de salubridade".

Os animais foram recolhidos pela Câmara Municipal de Monforte, "para receberem cuidados veterinários", tendo o cavaleiro João Moura sido constituído arguido "e os factos remetidos ao Tribunal Judicial de Portalegre", conclui a nota da GNR. 

Os cães, cuja magreza extrema é visível,  têm sinais de maus-tratos e "alguns tinham doenças como leishmaniose", apurou a TVI.

TVI acompanhou, durante o ano passado, várias corridas de galgos pelo país e revelou os maus-tratos a que estes cães em particular estão sujeitos.

Rafaela Laja