seguindo as recomendações da Agência Europeia do Medicamento (EMA)

«Demos uma instrução às empresas que detêm essas autorizações em Portugal para recolherem o medicamento no mercado e aguardarem até à decisão final que é da competência da Comissão Europeia, disse o presidente do Infarmed, Eurico Castro Alves. 


«Estamos a falar de 20 medicamentos autorizados em Portugal. Há 64 autorizações de facto, mas só há vinte comercializados em Portugal, que correspondem a uma quota mínima de 0,3 por cento de vendas em Portugal e não há conhecimento de qualquer problema com esses medicamentos», disse Castro Alves. 




«Não tem efeito adverso nos doentes. Qualquer um dos medicamentos tem várias alternativas semelhantes e são facilmente substituídos por outros. Por outro lado, são medicamentos de baixíssimo consumo em Portugal, alguns deles são vendidos na ordem das escassas dezenas de embalagens. Portanto, não há qualquer risco para os doentes. Nem há qualquer problema de falta de medicamentos porque eles são substituídos por outros com o mesmo valor terapêutico», acrescentou. 













Veja a lista dos medicamentos mandados suspender



Redação / CP/CF/AM - última atualização às 20:39